DEPRESSÃO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA: ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO FRENTE A ESSA DEMANDA

Autores

  • Léia Siriaco do Carmo Acadêmica do Curso de Bacharelado em Enfermagem da Faculdade de Educação e Meio Ambiente – FAEMA
  • Luisa Barbosa dos Santos Acadêmica do Curso de Bacharelado em Enfermagem da Faculdade de Educação e Meio Ambiente – FAEMA
  • Jessica de Sousa Vale Enfermeira, Profa. Ma. do Curso de Bacharelado em Enfermagem da Faculdade de Educação e Meio Ambiente – FAEMA (Orientadora)

Palavras-chave:

Depressão, Saúde da Criança, Enfermeiro

Resumo

A depressão consiste em um agravante de saúde pública mundial, sendo assim classificada como desordem mental frequente, resultante de uma variada relação de razões, tais como: biológicas, psicológicas e sociais marcadas, por tristeza, perca de interesse e prazer, sentimento de culpa ou baixa alta estima, distúrbio do sono ou de apetite, sensação de cansaço e falta de concentração (1). A criança é um ser que se encontra no começo de sua evolução e no estágio no qual extenso seguimento de potenciais é obtido. Para que a continuação da maturidade ocorra de forma natural, é imprescindível circunstâncias propícias. Nesta essência, acentua-se a relevância de um meio favorável, conciliado às
indispensabilidades físicas e afetivas da criança, favorecendo boas situações, como de proteção, estima amparo e nutrição satisfatória. A inexistência desse meio pode comprometer o amadurecimento afetivo da criança (2). Por conseguinte, o objetivo desse estudo é reconhecer as particularidades dos transtornos mental depressivo, e explorar suas consequências nas crianças e adolescentes, as possíveis causas e diagnóstico, enfatizando, de igual modo, a importância do profissional enfermeiro frente ao conhecimento e conduta adequada com o manejo da doença.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2020-08-26

Como Citar

Carmo, L. S. do ., Santos, L. B. dos ., & Vale, J. de S. . (2020). DEPRESSÃO NA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA: ATUAÇÃO DO ENFERMEIRO FRENTE A ESSA DEMANDA. Revista Científica Da Faculdade De Educação E Meio Ambiente, 10(edespenf), 32–39. Recuperado de https://revista.faema.edu.br/index.php/Revista-FAEMA/article/view/1117