FARMACOVIGILÂNCIA DE MEDICAMENTOS PSICOTRÓPICOS NO MUNICÍPIO DO VALE DO PARAÍSO, RONDÔNIA

Autores

  • Leandro Peixoto dos Santos Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná
  • Amanda Almeida de Oliveira Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná
  • Jeferson de Oliveira Salvi Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná

DOI:

https://doi.org/10.31072/rcf.v6i2.330

Palavras-chave:

Psicofármaco, Vigilância, Serviços de saúde, Dependência.

Resumo

Drogas psicotrópicas podem promover alterações de comportamento, humor e cognição, modificando seletivamente o sistema nervoso central. Estudos apontam que a prevalência de uso no Brasil é de aproximadamente 10%. Neste contexto, realizou-se um levantamento do consumo de medicamentos psicotrópicos, em um município do estado de Rondônia, com o objetivo de determinar o perfil dos usuários de psicofármacos, o grau de informação, as principais reações desagradáveis e as especialidades médicas que os prescrevem. O estudo foi do tipo transversal descritivo com aplicação de questionário. As variáveis estudadas visavam caracterizar o perfil dos usuários e fatores relacionados a utilização de medicamentos. Os resultados mostraram que as mulheres (59,62%) utilizam os medicamentos psicotrópicos com maior frequência que os homens (40,38%), a faixa etária em evidência foi de 41 a 60 anos (44,44%), a maioria dos entrevistados é casada (58,8%), denotou-se que 55,2% não completaram o ensino fundamental e 98,5% dos indivíduos declararam renda familiar entre 1 a 3 salários mínimos. A maioria dos entrevistados utiliza medicamentos a mais de 1 ano. A ansiedade é a principal queixa apresentada ao médico. As consultas e os medicamentos são adquiridos em sua maioria no SUS e 97,4% dos usuários não apresentaram reações adversas. A classe medicamentosa mais utilizada é a benzodiazepínica e a prescrição em 68,88% dos casos é feita pelo clínico geral. Verificou-se a necessidade da contratação de profissionais especializados para realizar o acompanhamento dos pacientes e desta forma contribuir para a melhoria dos serviços da saúde prestados à população.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Leandro Peixoto dos Santos, Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná

Farmacêutico formado pelo Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná (CEULJI/ULBRA).

Amanda Almeida de Oliveira, Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná

Farmacêutica formada pelo Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná (CEULJI/ULBRA).

Jeferson de Oliveira Salvi, Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná

Orientador. Farmacêutico formado pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE), mestrando em Biologia Celular e Molecular Aplicada à Saúde pela Universidade Luterano do Brasil (ULBRA), docente do departamento de Farmácia do CEULJI/ULBRA.

Downloads

Publicado

2015-12-16

Como Citar

Peixoto dos Santos, L., Almeida de Oliveira, A., & de Oliveira Salvi, J. (2015). FARMACOVIGILÂNCIA DE MEDICAMENTOS PSICOTRÓPICOS NO MUNICÍPIO DO VALE DO PARAÍSO, RONDÔNIA. Revista Científica Da Faculdade De Educação E Meio Ambiente, 6(2), 36–48. https://doi.org/10.31072/rcf.v6i2.330

Edição

Seção

Artigos (Ciências da Saúde)