EMG DE SUPERFÍCIE COMO MÉTODO DE AVALIAÇÃO FUNCIONAL EM JOGADORES DE FUTEBOL COM OSTEÍTE PÚBICA

Autores

  • Anise Bueno da Silva
  • Luciano de Souza da Silva
  • Amanda Santos Fagundes
  • Alessandro Augusto Franco de Souza
  • Leandro José Ramos
  • Neide Garcia Ribeiro
  • Diego Santos Fagundes Faculdade de Educação e Meio Ambiente

DOI:

https://doi.org/10.31072/rcf.v2i1.48

Palavras-chave:

EMG, Futebol, Osteíte pública

Resumo

A eletromiografia (EMG) de superfície vem sendo utilizada como um método de avaliação da atividade elétrica muscular nas lesões relacionadas ao esporte. A osteíte púbica é uma lesão crônica que ocorre em 6% das lesões por overuse no esporte. Os objetivos deste estudo era avaliar a atividade eletromiográfica dos músculos reto abdominal, adutor longo e glúteo médio, comparando o perfil antropométrico, treino esportivo e histórico da lesão em atletas profissionais do futebol. Os atletas, foram divididos em 2 grupos, sendo G1 (N=9, idade entre 18 a 25 anos) os atletas com lesão e G2 (N=9, idade entre 18 a 25 anos) o grupo controle. Foi preenchida uma ficha de avaliação para a análise do perfil antropométrico e treino esportivo e realizados testes específicos de estresse da sínfise púbica. O sinal eletromiográfico foi obtido através do movimento Active Straight leg Raise (ASLR), e a amplitude expressa através da porcentagem da contração voluntária máxima isométrica. Nossos resultados evidenciam que o tempo de prática esportiva foi maior e a atividade eletromiográfica do músculo adutor longo apresentou-se diminuída para o G1. Verificou-se que quanto menor o tempo de tratamento fisioterapêutico maior o grau de dor atual, não havendo relação com as condutas realizadas durante o tratamento. O desempenho esportivo destes atletas pode estar alterado em função da persistência do quadro álgico e da diminuição da EMG do músculo adutor longo. A análise eletromiográfica do adutor longo, a partir do movimento de ASLR, contribui para a análise da disfunção clínica e funcional através da avaliação da EMG em atletas com osteíte púbica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diego Santos Fagundes, Faculdade de Educação e Meio Ambiente

Diego Santos Fagundes possui graduação em Fisioterapia pela Universidade Luterana do Brasil (2002), especialização em Diagnóstico Genético e Molecular pela Universidade Luterana do Brasil (2003), certificado de Docência pela Universidad de Zaragoza Espanha (2005), Diploma de Estudos Avançados (D.E.A) em Fisiologia pela Universidad de Zaragoza Espanha (2006), MBA em Administração com ênfase em Gestão pela Fundação Getulio Vargas (2009) e doutorado em Farmacologia pela Universidad de Zaragoza Espanha/ Revalidado e Reconhecido pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) PPG em Farmacologia (capes 6) (2010)( Processo nº 23080.028728/209-03 Registro 0175 livro nº rev/g-1 folhas-45 parecer 05/CPB/2010) . Atualmente é Professor Titular da Faculdade de Educação e Meio Ambiente, membro do Grupo Español de Motilidad Digestiva. Tem experiência na área de farmacologia, fisiologia e neurociências, com ênfase em neurogastroenterologia e neurociência aplicada aos sistemas (reabilitação), atuando principalmente nos seguintes temas: óxido nítrico, sepse, canais iônicos, estress oxidativo, e antioxidantes envolvendo o controle da motilidade digestiva, assim como em fisioterapia em neurologia. Tem interesse no tema Educação do Adulto, Novas Tecnologias e Problem Based Learning.

Downloads

Publicado

2011-05-29

Como Citar

Silva, A. B. da, Silva, L. de S. da, Fagundes, A. S., Souza, A. A. F. de, Ramos, L. J., Ribeiro, N. G., & Fagundes, D. S. (2011). EMG DE SUPERFÍCIE COMO MÉTODO DE AVALIAÇÃO FUNCIONAL EM JOGADORES DE FUTEBOL COM OSTEÍTE PÚBICA. Revista Científica Da Faculdade De Educação E Meio Ambiente, 2(1), 1–12. https://doi.org/10.31072/rcf.v2i1.48

Edição

Seção

Artigos (Ciências da Saúde)